Vereador Odécio Carneiro defende uso de lixeiras para coleta de lixo nas ruas

A iniciativa foi tema de projeto de indicação aprovado na Câmara Municipal de Fortaleza; Cabe ao Executivo acatar ou não a ideia. Para Odécio Carneiro diz que a limpeza urbana é um problema de saúde pública. Foto: Divulgação
A iniciativa foi tema de projeto de indicação aprovado na Câmara Municipal de Fortaleza; Cabe ao Executivo acatar ou não a ideia. Para Odécio Carneiro diz que a limpeza urbana é um problema de saúde pública. Foto: Divulgação

O vereador Odécio Carneiro (Solidariedade) defende a colocação de lixeiras nas ruas e avenidas de Fortaleza. Em projeto de indicação, aprovado por por unanimidade pela Câmara Municipal, no segundo semestre deste ano, o parlamentar destaca “a problemática da limpeza pública urbana de Fortaleza como uma urgente questão de saúde pública”.

Com a proximidade do período de chuvas, o vereador diz que o projeto se reveste “de uma grande importância para a cidade de Fortaleza”. Ele lembra que, só neste ano de 2017 foram oficializados 3.690 (três mil seiscentos e noventa) casos de chikungunya na Capital.

“Fato suficiente para ensejar uma busca de esforços para combater esse mal em todas as vertentes de atuação. As lixeiras iriam diminuir ou extinguir o acúmulo de resíduos nas praças, ruas e avenidas do município”, avalia.

“No Centro da cidade e em vários bairros é comum vermos lixos espalhados nas calçadas por falta de lixeiras. Antes de qualquer coisa, isto é um problema sério de saúde. O lixo acumulado pode causar diversas doenças”, explicou o parlamentar.

Espaços
Outro problema, segundo Odécio, é que “parece inexistir na cidade de Fortaleza espaços para que os moradores possam deixar o lixo à espera do carro coletor, favorecendo, assim, a depreciação do aspecto visual da cidade”.

Lixeiras
De acordo com a proposta, a escolha dos locais de instalação das lixeiras “robustas e fixas”, que impeça a derrubada, deverá observar a necessidade do local, em especial, no que diz respeito a movimentação de pedestres. “A lixeira deverá ser robusta o suficiente para guardar o lixo até o recolhimento. O tamanho do recipiente coletor será adequado às necessidades do local. Na parte externa da lixeira poderão ser vinculadas campanhas educativas de limpeza urbana”, defende.

E ainda
Ainda de acordo com o projeto, as despesas decorrentes da execução desta Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, consignadas no orçamento vigente, a serem suplementadas, se necessário, ou mediante a instituição de parceria pública com a iniciativa privada. “Cabe à Prefeitura de Fortaleza a iniciativa de ações concretas para que primeiro possa vir o exemplo e, assim, a legitimação para a cobrança do papel popular, que é contribuir com a limpeza pública”, finalizou Odécio.

Com informações do OE